segunda-feira, 19 de setembro de 2011

stage 2

É tão estranho estar aqui, neste lugar, neste papel, nesta situação. Como as coisas mudam, como mudamos com elas... como tudo é tão transcendente, tão superior a nós, que por vezes só nos apercebemos quando efectivamente estamos a viver estes momentos. Mas como é tudo tão bom, ao mesmo tempo.
Há um ano a ansiedade era semelhante. Aproximava-se uma nova etapa, as mãos tremiam, a barriga dava sinais de fome ainda que estivesse cheia. Os sorrisos eram constantes e as novas amizades depressa se aprenderam a estimar. Por muito que nos queixássemos nos tempos que se seguiram, estávamos felizes. Fazíamos parte daquilo, uma espécie de 'coisa bonita' que nos assoberbava, que nos unia como nada antes o tinha feito.
Daí que quando saíram as confirmações tenha sido como um clique, um estalar de dedos, um acordar mental para a realidade... só aí compreendi o verdadeiro significado de tudo isto, da nova missão, da nova 'vida'. E se hoje já soube tão bem, daqui a uma semana então vai ser um eterno *.*.
Nunca pensei que fosse tão bom, sabe quase tão bem como estar do outro lado, como no início. É um regressar às emoções fortes, à tradição, à descoberta de novas pessoas e de novos caminhos. Um regressar às origens através das novas pessoas, que agora ocupam o lugar por nós outrora ocupado. Um novo olhar sobre o que representa fazer parte desta família, ao receber nela novos membros. E que bela família que estamos a construir.
E aquelas questões que nos fazem corar e sorrir, como se de propostas de compromisso se tratassem, são igualmente tão estranhas de ouvir. Mas sabem tão bem, ao mesmo tempo, Sabe tudo tão bem. É tudo um orgulho tão grande :) Porque cada vez tenho mais a sensação de que a frase "vens ver ou vens viver?" se aplica, antes de mais, à vida universitária.