domingo, 30 de janeiro de 2011

R crazy II

Ao hibridismo junta-se o omnivorismo das pessoas - que comem tudo, carne e peixe, fêmeas e machos, vai tudo a eito, não há discriminação! O que está relacionado com o polilove, uma coisa belíssima - há uma omnivoridade (LOL) intrínseca nestas modernices que nos chegam aos ouvidos agora. Já para não falar dos buracos negros e das semelhanças que a história deles têm com algumas situations bem reais (teoria partilhada com a Rosa e o discovery, que teve um papel fundamental no desenvolvimento da cena toda): porque os buracos negros (sobretudo os supermassive black holes do belo do Matt!) comem tudo o que lhes aparece à frente, tudo o que mexe, tudo o que lhes vem à rede, são verdadeiramente omnívoros, e não hesitam em comer-se uns aos outros também, quando se justifica... aliás, deve ser bastante comum, tendo em conta as características uns dos outros. O quasar é aquele momento solitário dos black holes, quando se comem a si próprios (ahahah), e o facebook dos buracos negros permite a comunicação entre eles e a partilha de comes e bebes.
Pegando nisto e na teoria da anatomia do corpo humano formulada in esplanada da fequeche, o mundo é todo feito de buracos, na sua essência, e estes buracos são verdadeiros abismos, não têm fim. Bonito, não é? Profundo *.* Mas gostei também de ter conhecimento da Teoria do Ucal (de despejar leitinho para um copo ou para o outro, e tal e tal) e da Teoria do Naperon People (uma grande verdade enunciada pela nossa querida moça com nome de flor ("o meu vestido azuuuuul perdeu a cor!"), com pessoas que não são o que são e etc e tal). Por falar em flor, aquele rap da floribella dava mesmo para concorrer ao festival da canção, pena não teres conhecido a tua alma gémea Inês antes do final do prazo!
Conhecer o magricela também foi um momento alto da tua estadia (e pedir-lhe um autógrafo para o Sr. Manuel que nem o deve conhecer xD), espero que com ele consigas chantagear os friends relativamente a um rolo de carne decente :P Pau do algodão doce, passar entre as redes do trapézio e outras piadas fizeram parte da madrugada passada a atirar arroz e pétalas artificiais aos noivos e principalmente aquele adorado balde de lixo, acompanhado por toda a efusividade da rosinha (não relacionada com outra rosinha person, awesome segundo o mesmo júlio césar que falou do pato e da mãe-natureza!). Coisas que se capturaram nestes dias dias de convivência.
P.S. - o Castelo Branco não é uma pessoa awesome, por mais visionária que seja :P

Sem comentários: