terça-feira, 21 de dezembro de 2010

roses

Os fantasmas são animais, começo por dizer. Os crocodilos são fofinhos (e têm óculos de andar debaixo de água incorporados). Os elefantes e os tubarões são bichos estranhos, mas imaginem só um elefante-tubarão, cuja tromba é uma barbatana e sei lá mais o quê. Não é lindo? Categorizar as pessoas segundo a sua beleza também - uma é gorda e feia, outro é semi-giro, outros são lindíssimos.
Claro que as baterias dos nokias não se gastam só com estas coisinhas. Também se chateiam bastante com as conversas sobre professores fofinhos e outros que nem por isso, sobre critérios parvos e teias amorosas imensas, situações engraçadas que metem esparguete e novas designações para pessoas que comem o que lhes aparece à frente (e isto acabou de ser interdisciplinar, pois lembra-me outra coisa ahah). E também cenas assim mais sérias, não correspondidas e afins, ou ex-correspondidas e que nem sempre não dão para o torto - que fazem parte da vida e não há forma de se-lhes escapar.
Ficam promessas no ar, como viagens e visitas e passeios, que nunca mais parecem chegar. Fica uma grande molha que apanhei por a sôdona rosinha (nada a ver com o rosinha-mor) ter contactado o meu moche às quatro horas e ter levado a cadela à rua logo no momento, sem ver que estava a chover a potes lá fora (a culpa é tua!!!!). Mas ficam também duas horas e meia, longas horas, que mesmo assim passaram mais depressa do que deviam, porque qualquer minuto é melhor que nada para atenuar (palavra fófi) a distância e a saudade. E como isto está a ficar lame e coiso e tal, apenas acrescento que me rio mais contigo em duas horas do que numa semana normal sem conversarmos. Acho que é motivo suficiente para continuarmos nesta vida de amizades - atenção que é um elogio à tua personalidade louca que eu tanto admiro. E é só. Pensem na primeira frase, fantasmas como bichos. Uhuh.

1 comentário:

Rosa Branca disse...

As nossas conversas são sempre as nossas conversas, Raquelzinha.^^
(Obrigação legal levada adiante :P *.*)