terça-feira, 16 de novembro de 2010

everything changes


Há dias assim. Mais valia não teres acordado, não teres ido, não te teres esforçado, já que as coisas iam ficar assim, como se tudo tivesse desaparecido de um momento para o outro, como se nada tivesse existido, quase. Dói, mas faz parte da vida. Sentes-te revoltado por não seres compreendido, queres voltar atrás no tempo e no espaço, emendar alguns comportamentos, tentar explicar-te, para ver se consegues dar a volta à situação de hoje. E queres mostrar o teu ponto de vista, admitir que erraste em algumas coisas mas que tinhas razão noutras, ao seguires um determinado caminho em detrimento de outro. Porque tiveste a razão do teu lado, algumas vezes, mas agora parece demasiado tarde para seres ouvido e acreditado. Porque as coisas não são tão simples quanto isso, o tempo passa e já não podes fingir que as coisas não mudaram. É a vida, há dias assim. Mas de uma coisa podes ter a certeza: não estás sozinho neste mundo, isso é a última coisa que podes pensar. Há sempre gente que se preocupa e que está aqui para ti, fica a saber isso. Sim, isto é para ti que lês o meu blog e te queixas que nunca falei de ti (lol :p), aqui fica o primeiro post exclusivamente dedicado à tua pessoa e sobretudo ao difícil dia de hoje, que por ser difícil para ti se tornou difícil também para nós, por nos preocuparmos e querermos ajudar. És uma pessoa simpática e carinhosa, que merece mais do que estar meio adoentada e ainda por cima ter de levar com todas estas coisas em cima, como se hoje fosse mesmo um dia marcado no calendário para te virares para um lado e para o outro e não conseguires sair de uma grande embrulhada. Se se chegou a este estado, é porque algum dia tinha de se chegar, e mereces mais do que alguma vez poderias ter com a situação como estava. As coisas compõem-se, como acontece sempre na vida. Demoram o seu tempo, custam a passar, mas quando se desvanecem sentes um enorme alívio por tudo ter, aparentemente, voltado ao normal. Até lá podes sempre contar com o nosso apoio, é para isso que os amigos servem, para as ocasionais pancadinhas nas costas, os frequentes abraços e aqueles momentos totalmente parvos cujo objectivo é serem parvos o suficiente para te fazerem esboçar um verdadeiro sorriso. Às vezes vivemos para te ver animar um pouco e abandonar esse estado de tristeza e neutralidade. Espero que estejamos a consegui-lo!  :)

1 comentário:

stevefg_8 disse...

depois de perguntar-te depois para quem é o texto :P está bonito,querida Raquel ;)