quarta-feira, 29 de setembro de 2010

find another you

Não podia haver melhor vida do que a de universitário. Não é fantástico passar uma tarde inteira a conversar com as pessoas do curso, depois de ter uma manhã recheada de aulinhas? Tenho a dizer (aqui no blog, uma vez que já o disse no facebook) que a esplanada da FCSH é do melhor que já se viu, um verdadeiro oásis no meio do deserto. São quase sete da tarde e continua iluminada pelo sol, quando tudo à volta são trevas e escuridão. É viva e estimulante, sempre com gente nova a chegar, e só apetece ficar lá a tarde toda a 'esplanar', a jogar ao olho (buraco), a ouvir anedotas parvas, a conviver. A passar o tempo das aulas! (?) Já lá vão os tempos em que ficar em casa sem fazer nada era bom, só para estar longe da escola. Aqui quer-se estar lá até o mais tarde possível, ali na esplanada, ou simplesmente a passear na faculdade (isto já é síndrome de novidade :p)!
Agora que as aulas começaram a sério, há que falar um pouco delas (mas muito pouco ahah): aquela coisa dos sistemas até podia ser pior, mas acho que estou com o Tjiago, melhor mesmo é ver Anatomia de Grey no computador enquanto o prof fala; semiótica... é melhor nem falar (só dizer que não sei se voltarei a ir àquela aula alguma vez mais); métodos vai-se, mas não é nada de especial; economia é giríssimo (*-*), estou a descobrir melhor o meu lado oculto de economista; e teorias é assim uma coisa fofinha com história, psicologia e filosofia, tudo à mistura, e com um prof fofinho e genial também. Já tenho assim umas boas dezenas de coisas para ler, mas não deixa de ser agradável ( : e estou a aprender que se aprende bastante nas aulas, sobretudo o que o senhor sábio dizia no outro dia, sobre descobrirmos o conhecimento que está em nós e sermos despertados para pensar, para desenvolvermos o nosso espírito crítico. Gosto disso!
A conferência de hoje, com o prof Steve Doig, também foi muito interessante. Como dizia aos meus queridos veteranos, se me pedissem, numa cadeira, para escrever uma reportagem sobre a sessão, eu adorava, até pagava para o fazer! Queremos ser jornalistas (we think so), por isso qualquer coisa que fuja ligeiramente à teoria deste primeiro ano (e que nos permita tomar um maior contacto com a parte prática) é recebida de braços abertos. A recepção foi esclarecedora acerca das vertentes e a palestra do senhor, em inglês, acho que nos convenceu a todos da importância do trabalho de um jornalista, fundamental à democracia e à sociedade. Gosto disto também :p E a nossa querida faculdade, a melhor de Portugal, e o nosso querido curso de CC, o melhor de Portigal também... opá, é outro nível lol, é um prívilégio para nós podermos contactar com nomes tão conhecidos do grande público e aprender com a sua experiência, acho isso simplesmente maravilhoso (e é para eles uma honra darem-nos aulas, também, segundo o que dizem!).
Repararam que está sempre tudo relacionado com a comunicação? A comunicação é tudo, tudo mesmo. Sem ela não teríamos nada, e com ela podemos ter tanto, mas tanto.
Agora um parênteses: as minhas conversas com a Andreia são tão boas, que vou registar algumas baboseiras das aulas. Primeiro, aquela coisa que desenhaste em semiótica (enquanto eu desenhava uma cara de gato) não era um cavalo, parecia muito mais um golfinho (o_O).  Segundo, acho fantástica a ideia de se fazer uma festa de anos (ou meses, ou dias, depende) na passagem das três para as seis células, enquanto embriões na barriguinha da mamãe. Terceiro e último, levar um chimpanzé para a aula de semiótica, mascarado com uma peruca loira (e outra morena), no nosso lugar, parece-me uma ideia genial. Vamos a isso? Parênteses dois: Marta, as tuas unhas não estavam assim tão mal, não ligues ao que os outros dizem, aquele verde era bonito! E o meu padrinho tem de criar facebook, senão isto não tem jeito nenhum :p

Sem comentários: