sexta-feira, 5 de fevereiro de 2010

falling to pieces

É aquele contentamento descontente.
Aquele.
Tu sabes.
Não preciso de expressar por palavras.
Entendes-me mesmo sem o dizer.

Dia de greve
de falta de teste
de trabalhos de casa
de espalha-factos
de filmes estranhos
de conversas
de recordações
de música
de descobertas
de sensações.
E vem aí um fim-de-semana e pêras.

Carpe diem tem estado nos meus pensamentos
mas nos pensamentos apenas e só.
Levanta-te da cadeira e faz-te à vida, moça.
Ou então deixa-te ficar sentada a vê-la passar.

Your choice. Choose carefully.
And be careful what you wish for. It might come true.

5 comentários:

Rosa Branca disse...

Mais do que pensamento, a acção!:D
É só agir..É tão fácil agir quando o pensamento não corrompe os membros!:D

Spiral Out disse...

Isto fez lembrar o Trainspotting..

Raquel Silva disse...

Olha que não é assim tão fácil, Rita :)

O Trainspotting, sim. Mas a inspiração maior foi d'O Clube dos Poetas Mortos :)

Spiral Out disse...

Dead Poets Society!! HANDS DOWN :vénias:

We don't read and write poetry because it's cute. We read and write poetry because we are members of the human race. And the human race is filled with passion. And medicine, law, business, engineering, these are noble pursuits and necessary to sustain life. But poetry, beauty, romance, love, these are what we stay alive for. To quote from Whitman, "O me! O life!... of the questions of these recurring; of the endless trains of the faithless... of cities filled with the foolish; what good amid these, O me, O life?" Answer. That you are here - that life exists, and identity; that the powerful play goes on and you may contribute a verse. That the powerful play *goes on* and you may contribute a verse. What will your verse be?

Raquel Silva disse...

Mesmo! É um grande grande grande filme :)

"But poetry, beauty, romance, love, these are what we stay alive for" :)