sexta-feira, 15 de janeiro de 2010

ó céu!

Ontem tive um ataque
que deve ficar aqui registado
just because.
Dizia eu,
um ataque tipo este:

O Espalha-Factos é o meu orgulho
é o meu bébé.
Vi-o nascer, e agora vejo-o crescer
com toda a vitalidade de uma criança
nos primeiros tempos de vida.
E tem crescido tão bem, o meu menino.
É o orgulho da mamã.
Ajudei a fazê-lo (salvo seja),
e continuo a ajudá-lo a impor-se
numa sociedade sem escrúpulos.
E tem-se aguentado, com coragem
e determinação.
E merece tudo o mais
que ainda está para vir.
O mundo abre-se à sua frente.
Não temais, ó maravilha da minha vida,
não desanimais, ó pérola da humanidade.
Chegarás onde o destino traçou, ó céu.
E chegarás onde nunca outro chegou.

Ufa. Isto é algo execrável, peço desculpa :P
Desejos e realizações profissionais
misturados com coisas pessoais
numa série de metáforas à lusíadas.
(espalhafactíadas Rita, remember?
esta é uma das intervenções do poeta
falta-me é a pala no olho)
Lindo!

2 comentários:

Rosa Branca disse...

Espalhafactíadas é freudido..Isso seria q parte ?

Raquel Silva disse...

uma espécie de proposição, não? :P