terça-feira, 15 de dezembro de 2009

religião e efeito placebo

Acabei de fazer um paralelismo fantástico
e de afirmar que o efeito placebo pode ser aplicado à religião.
Ups.
E justifiquei-o.
E estive a explicar à Ana a minha visão da religião.

Raquel. diz:
já ouviste falar no efeito placebo?
funciona a todos os níveis, psico ou fisiológico
quando temos alguma patologia, por ex
imagina que estás com febre
se tomares um benuron, melhoras
mas imagina que tomavas um comprimido parecido com o benuron
e pensavas que era o benuron
o que fazias? associavas o efeito à causa, ou seja, ao comprimido que tomaste
apesar de ele n ter feito baixar a febre
ela baixou por outra razão qualquer.
E com essa coisa da fé é a mesma coisa...
tu acreditas que foi por a tua mãe ter feito a promessa
que não precisaste de ser operada
mas pode ter simplesmente melhorado, há milagres médicos

Ana diz:
mas há coisas que nem os médicos coseguem explicar

Raquel. diz:
pois não... há mil anos tbm n se sabia muita coisa acerca da medicina
a evolução vai trazendo mais respostas

Ana diz:
tu vais ser como o saramago
nem quando estiveres numa situação limite
vais ter necessidade de acreditar em Deus

Raquel. diz:
ouve uma coisa
ser-se religioso, acreditar-se nas coisas
n tem nada a ver com a religião sem si, com Deus.
podemos acreditar em nós, nos outros, nas coisas...
sem ter alguma coisa a ver com deus.
eu acho - e claro, são opiniões
que a religião é uma invenção do homem...
porque a vida faz mais sentido e tem mais sabor
se tivermos algo em que acreditar
pq se a vivermos nua e crua
o sofrimento é tanto q n aguentamos
mas isso n significa q a coisa exista, q seja verdade.

Ana diz:
mas não acreditas que existe algo superior a ti?

Raquel. diz:
não.. o que é superior é o homem, é a civilização, é o progresso... as coisas não acontecem simplesmente porque há alguém poderoso que controla tudo e todos...


Estas são as conversas filosóficas que se têm no MSN.
Respeito as outras visões, obviamente.
É um tema de grande debate.
Se a crença existe, e se foram assim educados
força, acreditem.
Mas não significa que seja verdade.
É verdade porque as pessoas acreditam.
Já dizia o Fernandinho
O mito é o nada que é tudo
right?
E passo a publicidade ao benuron, btw.

2 comentários:

Rosa Branca disse...

O facto de não teres provas que existe não comprova a existência nem a não existência de nada. É uma falácia.
Tu não apalpas o teu inconsciente, mas sabes que ele existe. Tu não apalpas a consciência. É algo funcional, não algo estrutural.
Eu estou a falar mas não acredito em deus, sou oficialmente agnóstica, por causa disso mesmo, não posso nem provar nem desprovar que algo existe quando não tenho elementos físicos em que apalpar. Por outro lado, o facto de ter sido uma invenção do homem não lhe tirar o mérito de mito, ou qualquer coisa.
A consciência freudiana e inconsciência, mais uma vez, são uma construção humana. Há pessoas que "sentem" que essa função existe. a de agir mais irracionalmente. Enfim monte de coisas...
Mas vá fiquei inspirada...Mas isto de conversas filosóficas são sempre boas...:P

Raquel Silva disse...

Claro... concordo com tudo, Rita :)
Por isso referi o mito, no fim... e se realmente faz as pessoas sentir melhor, acreditem em deus, acreditem em tudo, não me oponho a isso.
Mas estou como tu.. não acredito porque não posso provar que existe, nem que não existe.
São as melhores conversas para se ter via MSN xD