sexta-feira, 4 de dezembro de 2009

of the edge

Não sei sobre o que escrever. Sei que me apetece escrever, apenas.
Isto fez-me lembrar o
Não sei para onde vou, / Sei que não vou por aí
mas invertido, of course.
Isto porque o
Circunda-te de rosas, ama, bebe / E cala. O mais é tudo
ainda está muito presente na minha memória a curto prazo
(ou ficará na de longo prazo? Who knows)
e enfim, a abulia, a ataraxia, a apatia, o epicurismo, a áurea mediocritas e o estoicismo
apoderam-se de mim, carnivoramente, como dizia o outro e bem.

Acho que ainda não o disse, aproveito a oportunity
Contentíssima com o regresso daquele programa que começa às cinco para a meia-noite..
e desejosa de lá ir de novo
e bater muitas palmas (muitas, muitas, muitas, muitas, muitas)
e voltar a viver uma good good good good night.
Carpe Diem! Hoje estou very Reis, estou estou.

Há coisas que surpreendem pela positiva.
E há coisas que não surpreendem pela negativa.
Ok, isto está um bocado confuso e tal. Whatever.
Só queria deixar bem claro.

Há coisas que fazem recordar, também.
Uma conversa trouxe-me um enorme desejo
de regressar àquela maravilhosa cidade.
Maybe someday!
Sure, someday, why not?

Ah, música e rádio, rádio e música.
Apetece ouvir durante todo o dia
talvez evitar ouvir outros sons, outras pessoas
abster do mundo que nos rodeia.
Sabe bem, muito bem.

Escusava era de ter batido com o joelho na cama.
Isso não soube nada bem.
Mas enfim.
Happy to be here and now.

So what if it hurts me?
So what if I break down
So what if this world just throws me off the edge
My feet run out of ground
I gotta find my place
I wanna hear my sound
Don’t care about other pain in front of me
Cause I’m just trying to be happy, yeah
Just wanna be happy, yeah

3 comentários:

Pedro disse...

Quero comentar não sei o quê, quero falar não sei porquê, quero escrever...
Quero voltar à casa do 2+2=5, quero poder voltar a conhecer quem conheci, poder viver o que não vivi...
Deixar de estar em baixo por nada, quando tudo tenho para nada ter, não faz sentido, para quem lê, muito menos para quem escreve, apenas sei que os dedos carregam nas teclas...

Quero viver o sonho e sonhar a vida...

Raquel Silva disse...

Ai rapaz, tu partes-me o coração :P
Havemos de voltar lá!
Vive a vida sonhada :)

Pedro disse...

Não era essa a minha intenção, fazer sorrir esse teu sorriso, fazer lembrar... Sempre ouvi dizer que recordar é viver ;)