segunda-feira, 9 de novembro de 2009

sorrow

Soluça fervorosamente, mas ainda consegue controlar as lágrimas.
Abre a torneira, deixa a água a aquecer.
Sente que está com pele de galinha, tenta aquecer os braços, mas as mãos estão ainda mais geladas.
Vê o reflexo no espelho antes de entrar na banheira
a cara pálida
os olhos avermelhados e lacrimosos
o cabelo desgrenhado
o ardor estranho nas narinas, quando temos lágrimas para derramar.
Liga o chuveiro e sente o furor da água no rosto, rasgando-lhe a pele, aquecendo-lhe o corpo.
Fecha os olhos e desata a chorar como se não houvesse amanhã.
Liberta toda aquela dor
sente o peso do mundo às suas costas
sente todos os problemas de toda a gente
sente toda a infelicidade que já viveu e que viverá, num futuro próximo ou longínquo.
Soluça fervorosamente
mistura as lágrimas com a água que escorre do chuveiro
despeja tudo o que tinha acumulado nos últimos tempos.

Sem comentários: