segunda-feira, 21 de setembro de 2009

Batido de sentimentos

Há coisas muito fofas. Muito mesmo. E pessoas… muito fofas… *.*

E estão longe, mas estão tão perto… como se estivessem mesmo aqui ao lado. Pena não o estarem, e quando precisamos delas, o contacto ser tão difícil…
E as que estão perto… pena parecerem estar tão longe, às vezes…

Porque é que as coisas não são como queremos?


Estou
depré, como diria uma pessoa que eu cá conheço. A little bit depré. Or a ‘big bit’ depré (estou a dar cabo do meu maravilhoso inglês… isto existe?)

Por diversas razões e motivos inexplicáveis e imperceptíveis à raça humana.
Sim, porque isto da racionalidade é uma treta do caneco. Só somos verdadeiramente racionais quando não temos os sentimentos e as emoções à mistura. Quando temos, fica tudo esgrouviado (palavra kuxi! à moda da Rosa…).

E eu tenho. Sempre… mas agora especialmente. Muito
mixed feeling a andar aqui à roda… parece o Obelix a ver bocados de carne a voar à sua volta… Mas voltando aos mixed feelings… o M. sabe o que quero dizer. Sabe mesmo. Sabe mais do que eu, quase xD porque eu não sei nada. É uma confusão. E sim, normalmente quando é connosco, ainda sabemos menos. É o caso. Mas ultrapassa-se… vai-se esquecendo, vai-se ignorando, vai-se passando à frente sem olhar para trás. Embora de vez em quando se olhe de relance para o que ficou e não desapareceu, e se volte a sentir tudo à flor da pele… acontece com frequência.


E estou
depré. Porque sim, porque não, porque talvez. Porque não sei, porque me abstenho, porque voto em branco. Porque não é só viver que interessa… há que se saber viver. Porque não existe tal coisa como a felicidade… apenas momentos de felicidade… e estes são sempre inferiores ao momentos de infelicidade. Porque o Fernandinho me põe a pensar no passado e na perspectiva de futuro, no presente que é o único tempo que existe, na história, no patriotismo, no mito, na realidade, na esperança, na ideologia, nas pessoas… e regresso à fofura. Sim, porque há coisas muito fofas, e pessoas igualmente muito fofas. E quando me sinto depré, preciso delas aqui. E mesmo que não estejam aqui… estão aqui. Aqui pertinho.

E se não me fiz entender… olhem, paciência… subscrevo a música da Lilly Allen. Já agora, ando a ouvir…
Meet Me Halfway dos Black Eyed Peas. E sim, contribui para estar depré. Hoje em dia, o que não contribui? Mas enfim. Há que desviar o olhar e o pensamento (desviar o pensamento?). E sorrir… abrir bem a boca. Diz que faz bem à saúde. Whatever!

3 comentários:

Rosa Branca disse...

Oh diabo comparares-te ao fernandinho é q nao...Fogoooo!! A racionalidade existe para regular isto...Isso de ser racional ou nao é mt rlativo, é preciso é haver calma.
Para além disso, o mundo é feito pra pessoas heterogeneas. O simples facto de ainda não termos encontrado as pessoas parecidas connosco no mundo não virtual, é só falta de coincidências, que é preciso contrariar, com uma plantação de saídas com pessoas e com uma plantação de vida e de coincidências!

Rosa Branca disse...

Beijinhosssssssssssssssssss!

*.*

Raquel Silva disse...

Foste tão poética, Rosinha *.*
Mas é verdade, o Fernandinho põe-me a pensar! E tens razão, é tusdo muito relativo. De um momento para o outro, podemos alterar os nossos estados de espírito e ficamos logo mais contentes. Acontece muito :) Mas há momentos assim, muito depré!

Beijinhos =)