domingo, 27 de setembro de 2009

Tertúlia!

Segundo a maravilhosa Wikipédia, ‘tertúlia é, na sua essência, uma reunião de amigos, familiares ou simplesmente frequentadores de um local, que se reúnem de forma mais ou menos regular, para discutir vários temas e assuntos’.

Tudo começou, precisamente, há um mês atrás.

As conversas twitteiras originaram a necessidade de trocar mails, de escrever mais do que 140 caracteres. No início, éramos apenas seis: eu, o Lemon, o Diogo, o Vitória, o Tiago P. e o Fábio. Todos eles mais novos, todos eles rapazes, e eu lá no meio... xD Com o passar do tempo, fomos expandindo o grupo, tendo sempre em conta as opiniões dos membros e o estatuto especial que pertencer à tertúlia acarreta. A única regra é apoiarmo-nos uns aos outros, sempre, e conversarmos sempre que nos for possível. Hoje, somos dezanove membros.

Nunca estamos lá todos ao mesmo tempo, mas sempre que precisamos de uma palavra amiga, sempre que ligamos o MSN e nos apetece conversar sobre tudo e nada, há-de lá estar alguém para nos ouvir e ajudar, seja a que hora for, seja quem for. E essa é a melhor sensação do mundo!

Temos a Inês, o Manuel, a Cat, o Jerónimo, o Zambujo (membro mais recente), a Rita, a Rosa, o Pontes, o David Gon., o Ricardo, a Romina, o David G. e a Rita B., que se juntaram, ao longo do mês, aos seis iniciais. Somos como uma graaaaaande família, e posso dizer que juntámos um grupo maravilhoso de amigos nesta tertúlia MSNeira. Alguns não conheço pessoalmente, com outros já estive várias vezes. Mas todos eles são amigos bédafofos (!), que espero manter para a vida…

E agora a expectativa da Tertúlia in Oporto, o encontro marcado para aquele Domingo tão aguardado. Falta uma semana, meus caros amigos. Está quase : ) E vai ser Le – gen – wait for it - dary!

P.S. – O que estou a ouvir é praticamente óbvio… a música da tertúlia: I Gotta Feeling dos Black Eyed Peas! Obrigada a todos pela companhia durante este mês, pelas conversas interessantes e pela vossa amizade… Fábio, o nosso momento soxinhos! Diogo, o #bedafofinho de serviço! Momentos bobagem e cafageste! Os sons do HIMYM da Inês! O namorado Presley e os sogros Tuttepalle e Pontes! As aventuras de Lemon e Élia Suína! Oh pá… adoro-vos *.*

sábado, 26 de setembro de 2009

Looking for Paradise

Vamos assistir a um programa de televisão, e o que acontece?
Não vemos o programa de televisão. Ah pois é. A vida é cruel xD

Falamos em rapazes grávidos do homem da boina, em emplastros, em telefonemas às duas horas da manhã, em raparigas com véus brancos… e quem está fora do assunto, pensa que somos malucos. Ok, se calhar somos um bocadinho. Mas tudo isto aconteceu!

E cada vez tenho mais a certeza de que é bom conviver, conhecer pessoas, partilhar ideias, rir até mais não, aparvalhar e tirar fotografias para mais tarde recordar. Porque são coisas que nos fazem felizes, ainda que momentaneamente. Porque ganhamos sempre algo, porque ficamos com algo para contar a quem quisermos. Porque não importa não ver o programa ou não estar no cenário a aparecer na televisão, desde que se esteja em boa companhia e se passe um bom momento.

Uma palavra especial para as noivas queridas, umas amigas que espero voltar a ver muito mais vezes (Cat, Isabel e Inês <3), para os padrinhos simpáticos (Pedro N. e Manuel, o especial de corrida xD), para o rapaz divertidíssimo que conheci (David!), e para todos os outros especiais (Rita D., Joana, Bernardo, Dona Helena, o grande e bédafofo Boinas, o simpático Pedro Fernandes e o enorme maestro Raminhos!)!

Quero um carro verde igual ao do Raminhos. Quero aprender a ler com a professora primária que escreve “és windo” e é um mau exemplo para os catraios. Quero que o emplastro apareça sempre nas fotos que me tirarem. Quero casar, um dia, com um daqueles véus de cinquenta cêntimos na cabeça. Quero receber uma mensagem no voicemail com um “eu amo você” às duas e meia da manhã e rir-me até à morte ao ouvi-la.

Eu disse que a vida era cruel? É um bocadinho. Nem sempre as coisas correm como planeamos, nem sempre podemos contar com todas as pessoas que queríamos. Mas elas estão lá, em espírito (uhuh, don’t get me wrong :P), sempre. Porque deviam ter lá estado e não puderam. Porque, se tudo correr bem, estarão lá na próxima vez! E porque apesar da sua ausência, a diversão não se dissipou, pelo contrário. Divertimo-nos a dobrar, por elas também :)

Agora é contar os dias, as horas, os minutos, até ao próximo dia… amizades diferentes, sítio diferente (
nem parece assim tão longe…), encontro diferente, mas é o tão aguardado dia! Está quase *.* vocês sabem do que falo =)

P.S. – O poema maravilhoso do padrinho, no seu blog, acerca do encontro algures no paço onde há arcos. Favor ler!

A ouvir: Looking for Paradise, o dueto entre Alicia Keys e Alejandro Sanz. Gosto porque é ambíguo, híbrido, como diria alguém! E porque me faz pensar nesse conceito de paraíso... o.O

segunda-feira, 21 de setembro de 2009

Batido de sentimentos

Há coisas muito fofas. Muito mesmo. E pessoas… muito fofas… *.*

E estão longe, mas estão tão perto… como se estivessem mesmo aqui ao lado. Pena não o estarem, e quando precisamos delas, o contacto ser tão difícil…
E as que estão perto… pena parecerem estar tão longe, às vezes…

Porque é que as coisas não são como queremos?


Estou
depré, como diria uma pessoa que eu cá conheço. A little bit depré. Or a ‘big bit’ depré (estou a dar cabo do meu maravilhoso inglês… isto existe?)

Por diversas razões e motivos inexplicáveis e imperceptíveis à raça humana.
Sim, porque isto da racionalidade é uma treta do caneco. Só somos verdadeiramente racionais quando não temos os sentimentos e as emoções à mistura. Quando temos, fica tudo esgrouviado (palavra kuxi! à moda da Rosa…).

E eu tenho. Sempre… mas agora especialmente. Muito
mixed feeling a andar aqui à roda… parece o Obelix a ver bocados de carne a voar à sua volta… Mas voltando aos mixed feelings… o M. sabe o que quero dizer. Sabe mesmo. Sabe mais do que eu, quase xD porque eu não sei nada. É uma confusão. E sim, normalmente quando é connosco, ainda sabemos menos. É o caso. Mas ultrapassa-se… vai-se esquecendo, vai-se ignorando, vai-se passando à frente sem olhar para trás. Embora de vez em quando se olhe de relance para o que ficou e não desapareceu, e se volte a sentir tudo à flor da pele… acontece com frequência.


E estou
depré. Porque sim, porque não, porque talvez. Porque não sei, porque me abstenho, porque voto em branco. Porque não é só viver que interessa… há que se saber viver. Porque não existe tal coisa como a felicidade… apenas momentos de felicidade… e estes são sempre inferiores ao momentos de infelicidade. Porque o Fernandinho me põe a pensar no passado e na perspectiva de futuro, no presente que é o único tempo que existe, na história, no patriotismo, no mito, na realidade, na esperança, na ideologia, nas pessoas… e regresso à fofura. Sim, porque há coisas muito fofas, e pessoas igualmente muito fofas. E quando me sinto depré, preciso delas aqui. E mesmo que não estejam aqui… estão aqui. Aqui pertinho.

E se não me fiz entender… olhem, paciência… subscrevo a música da Lilly Allen. Já agora, ando a ouvir…
Meet Me Halfway dos Black Eyed Peas. E sim, contribui para estar depré. Hoje em dia, o que não contribui? Mas enfim. Há que desviar o olhar e o pensamento (desviar o pensamento?). E sorrir… abrir bem a boca. Diz que faz bem à saúde. Whatever!

domingo, 20 de setembro de 2009

Selo...

O Tiago Vitória, amigo twitteiro, tertuliano e bloggeiro (é tudo!), ofereceu-me um selo... sim, este selo que está no início do post (é fashion, não é? :P). Segundo este post no seu blog, o selo, "como sinal de reconhecimente, é muito importante para o nosso trabalho, pois sabemos que temos pessoas - mesmo que sejam poucas - a seguir-nos".

O selo tem regras! Ah pois, nem tudo são rosas.

1- Fazer referência ao selo e publicá-lo.
2- Divulgar as regras.
3- Dizer 5 coisas que mais gostamos de fazer.

Ora bem, quanto ao ponto 3... Adoro escrever, ler, ver filmes, conversar com amigos e rir!

A pessoa a quem indico o selo é... a Rosa Branca (sim, tu!) do blog Desafias-te!

"Este selo destina-se aos melhores blogs!".. não é o que se dizia por aí? Ora bem, o blog da Rosinha é uma maravilha, adoro adoro :D

quinta-feira, 17 de setembro de 2009

Cry

Girl you see me smiling
Girl i'm singing words of joy to the world
Between the lines it's hidden in the smile
Can't you hear a cry for love




I can. I hear it. It's a cry, a silent scream, a pain. All 4 love.




(Obrigada grande David, por estes momentos maravilhosos e, simultaneamente, melancólicos como tudo!)



A ouvir: Tomorrow's inside us, dos Fingertips... uma música que me emociona, pá. É linda.

terça-feira, 15 de setembro de 2009

Néctar dos Deuses

"Alguns de vocês andaram a espalhar veneno durante os últimos anos, e já provaram desse mesmo veneno. Outros espalharam o néctar dos deuses… mas não pensem que ele vos vai ser dado de mão beijada, por uma ninfa… vão ter de lutar por o receber de volta."

By: reencarnação de Camões, o homem mais profundo que alguma vez conheci. E algo bizarro também. Pelo menos como primeira impressão :)

P.S. – Claro que todo este discurso se encontra provido de metáforas, ou seja, não deve ser tomado no seu sentido literal. Mas ainda assim, e aproveitando a genialidade da coisa…

Pode ser néctar de laranja?

(sim, a imagem é de um sumo de laranja, não encontrei néctares no google :P mas o que conta é a intenção!)

domingo, 13 de setembro de 2009

Choice

Estamos naquela altura do ano em que regressa uma certa azáfama para regressar à escola e voltar a ver os amigos, os professores, e até recomeçar as aulas, um novo ano lectivo, com novos desafios e responsabilidades. Na escola, como em tudo na vida, é sempre a subir… e temos de fazer escolhas constantemente, que tanto podem ser as mais acertadas como totalmente erradas para o nosso futuro. A verdade é que não sabemos, e talvez nunca o saibamos. Temos de seguir o coração, ou o instinto, ou optar pelo que nos parece melhor. Mas, de qualquer forma, temos de ultrapassar todas as etapas, uma a uma, seja onde for que elas vão dar.

A entrada na faculdade é um dos grandes passos neste processo académico. Não, não me candidatei este ano. Mas acompanhei muitas candidaturas, muitos dramas de amigos que repetiram exames, que pediram reapreciações, que não tinham a certeza de que queriam determinado curso, que não sabiam com certezas se iriam entrar nas suas primeiras opções, que quando tal aconteceu se sentiram imensamente felizes, ou ainda que sentiram apenas alguma curiosidade. É um grande passo, decisivo, difícil e determinante na nossa vida. E não é nada fácil de dar. No entanto, é o passo pelo qual tenho esperado a minha vida inteira.

Ok, começando pelo princípio… já quis ser polícia (sim, don’t ask), advogada (grande paixão, impulsionada pelos filmes e séries…), criminologista (idem idem)… ainda considerei psicologia (pelo gosto de ouvir os outros) e relações internacionais (pela política e pelo conhecimento do mundo). Hoje, mantenho a ideia que me trouxe até humanidades, que se tem vindo a infiltrar cada vez mais em mim: o jornalismo, a paixão pela escrita, pela actualidade, pela transmissão de ideias, pela comunicação em geral. A dúvida é (e esta sim, uma dúvida difícil…): será que tenho calibre, coragem, para embarcar nesta aventura, para me dar a esta profissão, para ser jornalista?

Sempre quis crescer depressa. Sempre fui prematura, em quase tudo (vá, em tudo não, há muita coisa que tenho atrasada…). Neste mês de Setembro, voltou o entusiasmo (embora não muito grande) de regressar à escola, mas com um sentido diferente dos outros anos. Porque acompanhei de fora este processo de entrada na faculdade, de outras pessoas, em faculdades que me dizem bastante, em cursos que me dizem ainda mais, e senti quase na pele esta emoção de enfrentar uma nova etapa decisiva, aquela pela qual anseio desde há muitos anos atrás. Daqui a um ano, estarei nesta situação. Estarei (ainda mais) preocupada com os exames, com as médias de entrada, com as diversas opções, com a escolha final, com a entrada ou não na faculdade. Mas estarei igualmente (e possivelmente ainda mais) ansiosa pelo que vem a seguir, pelo curso, pelos novos horizontes, pela aproximação do objectivo.

A dúvida permanece… será que conseguirei atingir esse objectivo? Por mais que goste de escrever, de conhecer, de saber, de observar, de questionar… será que tenho coragem para ser jornalista, para trabalhar no duro, para fazer muitas vezes coisas que não gosto, para arranjar contactos, para contactar pessoas, para me lançar em desafios, para embarcar em aventuras perigosas, para arriscar? Não faço ideia. Talvez esteja a cometer o maior erro de sempre. Mas como sei se o estou a fazer? Não sei, não posso saber… o tempo o dirá. Por enquanto, reina a esperança, a ideia de que algumas coisas que devem mudar para melhor vão, realmente, mudar e seguir o seu rumo… e que estas dúvidas que tenho de dissiparão.

É uma contradição, eu sei. Quero tanto entrar na faculdade e seguir em frente, quase saltar o ano que falta e entrar hoje para a faculdade, para o curso… e ao mesmo tempo tenho todas estas dúvidas em relação ao que quero e ao que devo fazer da vida. Enfim. Acho que não tem explicação plausível, deve fazer parte da prematuridade… só sei que quero e que tenho curiosidade. E que quero. E que quero!

A ouvir: Bicycle Race, by Queen!

sábado, 12 de setembro de 2009

Desafio!

O Johny, que, aproveito para divulgar, criou recentemente o blog MaisDe140Caracteres, desafiou-me para criar "a minha própria banda", uma iniciativa que nem ele próprio sabe como surgiu. O desafio consiste nas seguintes regras:

1 - Ir a uma página aleatória da wikipédia
http://en.wikipedia.org/wiki/Special:Random
E o primeiro nome que surgir será o nome da banda.

2 - Ir à pagina das citações aleatórias
http://www.quotationspage.com/random.php3
E as 3 ou 4 ultimas palavras serão o nome do CD.

3 - Ir à secção "explore the last seven days" do flickr
http://www.flickr.com/explore/interesting/7days
Terceira imagem, não interessa o que seja, será a capa do CD.

4 - "Cozinhem" tudo no photoshop (ou algo semelhante).

5 - Postem no vosso blog, facebook, etc juntamente com as regras.

6 - Desafiem mais alguém.

Ora bem... após alguns percalços, lá tive o meu resultado, que não é maravilhoso, mas também podia ter sido muito pior. Aqui fica a capa do álbum:


Gray Pratincole, o nome da banda... é uma espécie qualquer de pássaros. Ficam a saber.
Frozen Radio Dinners... não faço ideia, estava na citação :P
Gosto da imagem, é serena, e o BOKE H faz lembrar BROKEN mas de forma mais suave :)

Agora, o meu desafio maravilhoso vai para:

Riot System (Tiago Vitória)
Perfect Symmetry (Diogo Pinto)

Desafias-te! (Rita Mendes)

segunda-feira, 7 de setembro de 2009

As noivas do Boinas (boinettes!)

As noivas twitteiras do Boinas,
meninas simpáticas e divertidas,
Senhoras entre mulheres,
que no meio de tanto homem,
Pelo homem da boina são atraídas,

Homem que já nos mostrou
que tem uma grande personalidade,
Força para vencer a gripe
e um pouco de vaidade.

E agora às sextas-feiras nos delicia com pastéis de nata, quando faltam 5 minutos para as 12 badaladas.

Mas como diz o ditado por de trás de um grande homem, está uma (ou 4) mulheres.

Mulheres jornalistas, fotografas, poetas e twitteiras.

Um conselho te deixo:

No meio de tantas mulheres, confusão pode surgir,
Se assim se justificar grita pela Senhora de garrafão na mão,
Entra Dona Helena gritando seu belo lema,

"Alevanta-te Cabrão!"

Poema escrito por: Pedro Neves e Rosa Branca, a quem eu e todas as boinettes agradecemos do fundo do coração xD

Poema publicado em: Sophisticated Mystery

domingo, 6 de setembro de 2009

5 para uma noite maravilhosa

Há dias compridos. Há dias com emoções fortes. E há dias que sabem tão bem que parecemos não conseguir acreditar que realmente aconteceram. Pois é. Mas também há dias que concentram todas essas sensações e se tornam ainda mais especiais. Este foi um deles.

Digam o que disserem, a amizade pode surgir de diversas formas. Sejam elas quais forem, não deixam de poder ser amizades fortes e duradouras. E quando a nossa casa se transforma temporariamente num hotel para receber duas dessas pessoas especiais nas nossas vidas, ela mostra a sua verdadeira importância na forma como agimos e pensamos. O Manuel e a Romina, apesar da enorme distância física que nos separa, são duas amizades recentes que me dão um enorme prazer conservar. E foram as duas pessoas que acolhi neste dia especial em Lisboa.Conversas interessantes, karaoke do mais amador possível, canções acompanhadas pelo som da guitarra e vozes algo desafinadas. Uma tarde bem passada, com gargalhadas e muita diversão. Mas a noite era o mais aguardado. I gotta feeling that tonight’s gonna be a good night, não é o que dizem os Black Eyed Peas? E para além disso, é a nossa canção oficial das tertúlias… estava tão ansiosa, tão desejosa de chegar lá, que acho que perdi qualquer receio e nervosismo que poderia ter naturalmente. E adorei tudo.

Fotografias e mais fotografias. Acho que nunca tirei tantas fotografias na minha vida como naquele dia. Mas também nunca gostei mais de o fazer. O estúdio do “5 para a meia-noite” é completamente diferente do que se vê na televisão. O cenário é muito mais pequeno, dá apenas para 15 pessoas… naquela noite maravilhosa, éramos cerca de 50. Sim, porque combinámos um encontro de twitters no programa do Boinas… para além da emoção de ir assistir a um directo, tivemos a emoção de conhecer algumas pessoas com quem apenas falávamos via twitter e msn.
O Diogo foi uma delas. Rapaz simpático, bédafofo (tertulianos conhecem a expressão… :P), fez-me companhia durante grande parte do tempo. Adorei conhecê-lo. O Fábio foi outro deles, embora não o tenha reconhecido à primeira. Dois corações soxinhos… ahah. Gostei de o conhecer, apesar de não termos falado muito! E falta a bédafofa original, a criadora do termo e a aniversariante da noite (depois da meia-noite!)… a Inês. Foi tão bom estar com eles… pena não ter dado para mais!

Mas o mais marcante foi o facto de estarem lá as 4 noivas do Boinas, facto que ele aproveitou como bem entendeu. Sim, eu sou uma das noivas do Luís Filipe Borges, mais a Isabel, a Catarina e a Inês (outra Inês!). Com pouco espaço no estúdio, o pessoal mais jovem foi distribuído pelo cenário… e nós, o harém do apresentador, as denominadas boinettes, fomos sentadas imediatamente atrás da sua secretária, durante todo o directo. Uma hora e picos, com boinas na cabeça (sim, brincadeirinha engraçada… lol) e um calor de morrer com as luzes por cima das cabeças. Mas foi muito bom.
Não passámos sem muitas conversas (com mais pessoal twitteiro, a quem agradeço do fundo do coração pela maravilhosa companhia…), fotografias e muita diversão. António Costa foi um excelente convidado, alinhando nas perguntas e mostrando a sua honestidade, o que tornou o programa desta sexta-feira um dos melhores de sempre. E com lotação mais do que esgotada! Mas ainda melhor… não passámos sem fazer um “Eu amo você”. Sim, a rubrica que o Nilton tanto gosta, e nós fizemo-la. Ou melhor, o Manuel fez, ao Gonçalo, e foi o máximo. Desmanchámo-nos a rir no final, todos!

Foi bom conhecer a D. Helena, o Ricardo Tomé e o senhor brasileiro que nos pedia para batermos palmas depois das piadas. Mais ainda, adorei o que aconteceu a seguir… o Boinas e a equipa do programa foi a um bar, e ele convidou-nos para irmos também. Um bar privativo – sim, porque eram quase 3 horas da manhã! Eu e a Romina fizemos-lhe a entrevista que tínhamos planeado, e correu muito bem. Depois foi só rir à gargalhada com o André Ferreira, uma mente absolutamente brilhante no que diz respeito ao humor, o Raminhos, um actor e tanto, e o próprio Luís Filipe Borges, que para além de noivo querido com uma amabilidade maravilhosa, é uma pessoa super divertida!
Não, ainda não é o fim. Falta um pormenor claramente interessante de referir: o forrobodó durou até quase às seis horas da manhã. Yap, 6 horas. E não foi bem forrobodó… só algumas coca-colas, nesteas e parental control ahah. O Manuel (que para além do show musical que deu à tarde, deu outro show de humor e opiniões à noite…), a Inês e a Isabel eram as únicas maiores de idade… eu e a Romina éramos menores, por isso comportámo-nos bem, e o Boinas vai ter de esperar até fazermos 18 anos.. ahah. Por enquanto é ilegal :P

Resumindo e concluindo, como diria o outro… acho que nunca me deitei tão tarde na minha vida (sim, não sou assim tão social e tal…), mas nunca me soube tão bem saborear a noite como naquele dia maravilhoso. Conheci gente maravilhosa, passei momentos divertidos como nunca antes tinha acontecido, tirei fotos memoráveis e vivi momentos que nunca esquecerei. Para repetir? Espero que sim, sinceramente… espero mesmo que sim! Obrigada a todos que tornaram aquela noite possível :)
Nota 1: Disseram-me que o senhor que nos pedia para batermos palmas se chamava Betão. Pronto, aqui fica registado o nome do senhor...
Nota 2: Esqueci-me de referir o pormenor de que fui mordida por uma ou várias melgas, 9 vezes na perna esquerda e outras 3 na perna direita, o que me inchou as ditas cujas e me deu uma enorme comichão e dor. Não sei se interessa para o caso, mas a verdade é que me aguentei à rasca durante aquela noite. Com a emoção tudo se esquece!
Nota 3: No "hotel por um dia" que foi a minha casa, eu, a Romina e o Manuel tivemos a excelente ideia de levar a guitarra para o programa e incentivar o pessoal a cantar aquela maravilhosa música do episódio final d'Os Contemporâneos, algo como "Fainaway". Felizmente o Boinas não alinhou... teria sido divertido, mas uma grande vergonha! :P


Tentei fazer a listagem de twitteiros presentes neste encontro, através das imagens e da memória. Aqui fica (e espero não me ter esquecido de ninguém!): @dmelopinto, @raquelation, @fabiosilvaaaa, @coisasdocatano, @manuelreis, @rominaisabel, @kitkatsenses, @tuttepalle, @johnymyko, @sweetmisswendy, @ines88, @izzabelo, @bernaspah.