segunda-feira, 12 de março de 2007

Lua cheia...

A lua cheia inspira-me,
Sempre que por ela passo.
Estranhamente, o presente,
Evapora-se num só abraço.

Sinto as estrelas a brilhar,
Sinto a Terra a rodar.
Vou de novo ao passado,
Que tanto gosto de recordar.

Sinto que estou a sonhar,
Mas que não quero acordar.
Vou directa àquela noite,
Em que me ensinaste a amar.
A noite que recordo,
Imaginando o teu olhar.

A lua cheia brilhava,
Como o Sol a bater
Nas espessas ondas do mar.
Deitados na relva,
Olhámo-la juntos,
Até a noite acabar.

Nenhum de nós imaginava,
O que viria a acontecer.
O destino separou-nos,
Como nos fez conhecer.

Mas eu nunca esqueci,
A noite da minha vida,
Em que me apaixonei,
Pela lua e pelo brilho,
Que encontrei nos teus olhos,
Naquele dia infinito.

É aí que regresso,
Ao presente, tristemente.
Uma brisa atravessa,
O meu rosto, levemente,
Tentando levar as lágrimas,
Que choro, sensivelmente.

Nunca vou perder,
Aquela noite ao luar.
Nunca vou esquecer,
O amor que me faz sonhar,
Contigo e com a dor,
Que a lua cheia me faz lembrar.

Sem comentários: